16 dezembro 2009

Por ela.

- Promete que você não vai me deixar?! - perguntou-me ele, quase que suplicando, enquanto levantava a cabeça do meu colo, para poder me encarar. Encarava-me com aqueles olhos azuis, que antes tinham um brilho enorme e que agora estavam cheio de lágrimas. Aquilo me surpreendeu.
- Descansa, Léo. Vai ficar tudo bem! - sem conseguir lhe encarar, foi o que eu pude dizer naquele momento. Mas ele não se contentou...
- Promete! Por favor! - disse, segurando meu rosto com força entre as suas mãos e me obrigando a olhar para aqueles olhos que antes me confortavam, e que hoje me causavam um certo nojo.
- Você está me machucando, Leonardo! - tentei falar calmamente, mas quase gritei. Agora foi a vez dele de se assustar. Tirou as mãos do meu rosto rapidamente, e sussurrou um pedido de desculpas. Eu pensei em levantar, mas quando vi que ele havia voltado a chorar, desisti. Eu sempre tive coração mole, mesmo com o causador das minhas mais amargas lágrimas. Léo, então, novamente apoiou a cabeça no meu colo e ficou deitado ali, enquanto eu fazia carinho em sua cabeça. O silêncio tomou conta do quarto. Achei que o menino, que agora parecia tão indefeso, tivesse adormecido em meu colo, mas quase que em um sussurro, ele disse:
- Me perdoa, por favor! Não posso viver sem você! - felizmente ele adormeceu de vez, sem que eu precisasse responder à sua súplica. E então, bem devagar, eu me levantei e apoiei a cabeça dele em um travesseiro. Fiquei em pé ao seu lado, o admirando. Como a beleza dele era linda! Parecia um anjo, com aqueles cachinhos loiros e aquela boca com um tom vermelho natural. Um anjo que em vez de salvar o meu coração, o despedaçou, o triturou, o amassou e acabou com ele completamente. Caminhei até a porta devagar, para evitar fazer qualquer barulho. Com a mão na maçaneta e com os olhos cheios de lágrimas, dei uma última olhada em Leonardo, meu amor, minha ilusão, meu sonho e meu pesadelo. - Eu não vou chorar! - pensei, mas antes mesmo de concluir meu pensamento uma lágrima escapou e escorreu pelo o meu rosto; a sequei rapidamente, e assim como entrei naquele quarto pela primeira vez, sem a intenção de sair, sai sem a intenção de voltar. Adeus, Léo. E fechei a porta.

Esse texto encontra-se também no blog 'quem sabe um best seller'.

17 comentários:

✿ KaU ✿ disse...

Adorei esse texto. Me lembra ... Eu! ... BjOs...

Lunna disse...

Lindo. Lindo. Lindo.. este texto me lembrou Crepusculo.. sei lá pq.. hihihi


;*

anne. disse...

liindo!
concordo com a Lunna, esse texto e lembrou Crepúsculo!

Fernanda disse...

O texto me lembrou qualquer estoria de amor mal resolvido,onde duas pessoas se amam mas por algum motivo não podem ficar juntas...

тнαтá *---* disse...

Haha cooncordo com a Lunna , oo teesto leembra mmuuuit crepusculo ! :B
Passan no meu blog ? D:
http://modasummer.blogspot.com/

Tiêgo disse...

Bru, arrasou! Que historinha mais linda *-*

Beijo :*

Lary Reis disse...

Lindo!!

acompanho seu Blog desde que vi seu texto sobre cantadas na capricho!!

só cirei o meu agora, então licensa!!

visitem- me: http://assimcomecaahistoria.blogspot.com/

Lary Reis disse...

Lindo!!

acompanho seu Blog desde que vi seu texto sobre cantadas na capricho!!

só cirei o meu agora, então licensa!!

visitem- me: http://assimcomecaahistoria.blogspot.com/

Yaas disse...

precisa mesmo comentar? meu, que perfeito. Porque é engraçado como as coisas mudam, e a gente acaba reparando que aquilo que antes nos enfeitiçou, depois nos da repulsa, e que quando decidimos não sair mais, acabamos um dia não voltando.
AMEI!
beeijos :*

Ana Paula disse...

Ain que lindo e que triste :(
É ruim quando temos que fazer algo que não queremos, mais precisamos; ainda mais quando se trata de amor, de alguém que gostamos mas precisamos deixá-lo. É triste mesmo. Gostei muito do post.

Passa lá no meu blog? Post novo :)

Bjs.

tayzão disse...

lindo seu texto , brigada pelo elogio ao meus olhos. enfim li um texto semelhante a ese ja *-*
bjs

Erica Ferro disse...

E é preciso fechar uma porta para poder abrir outras tantas, né?

Ficou muito bem escrito, Bru.

Beijo.

gabriela m. disse...

às vezes os fins são precisos.
triste isso.

Sofia disse...

Adorei o texto. Mas, me explica: você tá escrevendo um livro e isso é parte do livro?

Queria pedir desculpas pelo sumiço e avisar que o pirulito aos poucos vai voltar com tudo!
(http://pirulito-no-palito.blogspot.com/)
Beijos e Feliz Natal
Sofia.

♥Anny♥ disse...

CARACA!
texto muito lindo...simplesmente peerfeiito *-*
AIIIN!
Sério meesmo!!!

"e assim como entrei naquele quarto pela primeira vez, sem a intenção de sair, sai sem a intenção de voltar. "

Caraca...amei!

Floor, o textoé perfeitoo [seilá oq dizer, ficou tão bonito qe fikei estupefata]

Vou te desejar um Feliz Natal pq não vaai sair outra coisa que preeste! Feliz Nataaal, aproveite muitooo e ame, acima de tudo, ame!

' Jαdє Amσrιm disse...

Nossa, que texto lindo!
Mas eu fiquei na curiosidade, o que ele fez para magoá-la????



Beeijos!

Luh* disse...

Que coisa triste! mais acho q foi o mais correto!
beijos