14 outubro 2008

A nossa máquina de lavar.

Agora aqui em casa nós temos uma máquina de lavar. Pois é, antes não tinhamos. Sim, sou da era das cavernas, e o que te importa? Mas então, até parece que depois da bendita ter chegado aqui meu pai virou outra pessoa. Primeiramente, assim que a criança nasceu (tô falando da máquina de lavar) meu pai todo dia a usava, e quando colocou a primeira massa (massa?) de roupas para bater ele ficou admirando o trabalho da humilde maquininha de 10 kg. (Ah, só pra vocês ficarem sabendo, quando a máquina tá ligada não se pode ligar o chuveiro junto.. Então já viu, né? Sempre na hora do meu banho, meu pai cisma de ligar a porra da máquina de lavar, e eu tenho que esperar em torno de 1h pra poder tomar banho; e estou indo me banhar geralmente quase de madrugada. Ok, exagerei um pouco). Ahn.. Eu realmente não estou fazendo esse post para a minha máquina de lavar (nossa máquina de lavar, porque se meu pai ler que eu falei que a máquina é só minha, é capaz de ele ficar com ciúmes), ou talvez seja melhor dizer minha irmã, porque do jeito que meu pai trata aquela coisa.. Enfim, só falei sobre a máquina de lavar pra comentar sobre uma noite quando eu cheguei da rua com meu pai, depois de a gente ter passado no barzinho de sempre, chamado Pernambuco. Chegamos em casa ele meio bêbado (o que não é uma grande novidade; e talvez por esse detalhe dê para perceber o porque de eu não conseguir voltar a morar com a minha mãe, pois não quero deixar meu pai sozinho e também do fato de eu ser madura demais comparada ás minhas amigas) e eu querendo colocar minhas roupas pra lavar (ok, assumo que eu também estou meio boba pelo fato de agora ter uma máquina de lavar e não precisar lavar tudo na mão que nem uma lerê-lerê); então coloquei tudo na dita cuja e fiquei olhando as roupas lá dentro, e em seguida veio meu pai cantando e ficou olhando comigo. E sabe, foi uma simples quarta-feira a noite, um pai e uma filha, uma varanda, um céu estrelado, uma máquina de lavar, uma cantoria (que parecia de bêbados. Só parecia?), uma conversa sobre coisas alheias e risadas altas. Mas ao meu ver, foi muito mais do que isso, foi um ato de cumplicidade e amor do qual eu jamais vou esquecer.
ps¹.: Desculpa, não tá dando tempo de eu responder os comentárioas. Mas juro que assim que eu tiver tempo, visito todo mundo, ok? E obrigada pelos comentários.
ps².: Faltam 9 dias pro show do Paramore! (yn)

6 comentários:

Mah ;) disse...

a gente também tem uma maquina de lavar, mas não ficamos vendo ela 'trabalhar'... haoeiuhaiueh =]
que bom que voce e seu pai se "aproximaram" né? \o/
graças a maquina de lavar! ahoeiuah
:***

Anny disse...

Que bom que vc e seu pai tiveram esse momento de cumplicidade!
Muito fofo!
Eu em eu pai estamos tão distantes ultimamente...=//
Mas te desejo tudo de bom!
bjos!

_Norik disse...

HAUAHUHAUHAHAUHAUHAUH
Eu to lembrando do geito simpático que seu pai me acordou, quando fui dormir na sua casa, me cutucando. *O*

Enfim, minha máquina de lavar, está com bodô. u.u Sei lá, ela não quer encher d'água. *morre*

Ela é tão útil na minha vida. QUERO QUE ELA FICA NORMAL. ¬¬³ *surto off*

Tah, tah, to mto engraçadinho no meu post. /tahparei.

9 dias. *_*

Yaas disse...

A paixão por uma maquina de lavar :)
interessante. Pra ser mais exata, me deu vontade de descer e ver as roupas serem lavadas, mais aqui em casa a única pessoa que tem o prazer de ver isso é a diarista... e naum sei se ela iria gostar de dividir o espetaculo comigo :/
Beijos.

Yaas disse...

tem selinho pra você no meu blog ;)

Camila disse...

HUAUHAUHA, quase raxeei aki com essa históriiaa, tadenha de ti amor
bejoos